sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Lei de Murphy – Eu acredito


Eu realmente acredito, mais do que isso, tudo me leva a crer que aparentemente elas foram inspiradas em mim. ¬¬

Explico.

Se alguma coisa pode dar errado, dará. E mais, dará errado da pior maneira, no pior momento e de modo que cause o maior dano possível.

FATO: O HD do meu computador queimou, literalmente; levando com ele a produção científica de 7 anos de estudo e semanas de trabalho viraram cinzas a menos de 24h do prazo de entrega.

Nada é tão fácil quanto parece, nem tão difícil quanto a explicação do manual.

FATO: Eu poderia JURAR que nunca usaria o manual da máquina de lavar e quando precisei ler me senti completamente IDIOTA. O amaciante deve ser colocado na porta amaciante. ¬¬ [tão óbvio mas aparentemente tão inacessível na máquina de lavar!]


Tudo leva mais tempo do que todo o tempo que você tem disponível.

FATO: Ainda mais quando a internet resolve oscilar entre funcionar mal e não funcionar.

Se há possibilidade de várias coisas darem errado, todas darão - ou a que causar mais prejuízo.

FATO: em dois dias gastei os olhos na cara em um computador supostamente novo, mas evidente que passado um mês da validade [PQP].

Seja qual for o resultado, haverá sempre alguém para:
a) interpretá-lo mal. b) falsificá-lo. c) dizer que já o tinha previsto em seu último relatório.

FATO: Todos que souberam da minha desgraça computacional perguntaram porque eu não havia feito um backup ou salvo em email ou em pen drive.

Quando um trabalho é mal feito, qualquer tentativa de melhorá-lo piora.

FATO: E quando ele é bem feito, acaba sendo pulverizado por essa máquina criada pelo diabo, chamada computador.

Acontecimentos infelizes sempre ocorrem em série.

FATO: minha carteira de habilitação venceu, eu bati o ombro na mesa da sala na tentativa infame de achar a tarracha do brinco que sumiu em alguma fresta do parquê e o siso voltou a incomodar.

As peças que exigem maior manutenção ficarão no local mais inacessível do aparelho.

FATO: Que o diga o técnico responsável pela recuperação não sucedida das informações contidas no meu finado HD.

Se você tem alguma coisa há muito tempo, pode jogar fora. Se você jogar fora alguma coisa que tem há muito tempo, vai precisar dela logo, logo.

FATO: Nunca usei as minhas monografias, agora eu precisava publicá-las. Mas foram incineradas.

A Natureza está sempre à favor da falha.

FATO: Fui buscar o computador na pausa da chuva, quando peguei ele, São Pedro concluiu seu trabalho de lavar a terra.
Mesmo o objeto mais inanimado tem movimento suficiente para ficar na sua frente e provocar uma canelada.

FATO: o meu dedo mindinho ainda dói.

Inteligência tem limite. Burrice não.

FATO: Gente desocupada enchendo o saco também não tem limites.

Guia prático para a ciência moderna: a) Se se mexe, pertence à biologia.
b) Se fede, pertence à química. c) Se não funciona, pertence à física. d) Se
ninguém entende, é matemática. e) Se não faz sentido, é psicologia.

FATO: Se queimar documentos importantíssimos da sua vida profissional, é da informática.


Cada professor parte do pressuposto de que você não tem mais o que fazer, senão estudar a matéria dele.

FATO: Meus alunos não tem mais nada o que fazer MESMO, então vou massacrá-los até expremer as últimas gotas de energia e depois eles vão me olhar com um misto de amor e ódio porque tudo que eu os fiz estudar caiu no vestibular.

O dia de hoje foi realmente necessário?

FATO: Eu realmente poderia deletar o dia de hoje.

A luz no fim do túnel, é o trem vindo na sua direção.

FATO: ou um motorista alucinado que aparentemente não consegue reconhecer faixa de segurança ou é daltônico e nãoé capaz de ver a cor vermelha. Ou ambos!


A vida é uma droga. E você ainda reencarna.

FATO: e na vida passada eu devo ter sido filha da p&%$# ao extremo e agora estou pagando.

Nunca há horas suficientes em um dia, mas sempre há muitos dias antes do sábado.

FATO: preciso de mais umas 5h no meu dia.

Todo corpo mergulhado numa banheira faz tocar o telefone.

Não tenho banheira mas se tivesse e resolvesse relaxar, o telefone não tocaria mas certamente o interfone e seria engano. Acontece quando estou sestiando. A idéia é basicamente a mesma.
A beleza está à flor da pele, mas a feiúra vai até o osso!

FATO: Não existem limites para a feiura e quanto mais feia for uma pessoa, mais ela insiste em agredir seu olhos com a presença dela achando que realmente é bonita.

O material é danificado segundo a proporção direta do seu valor.

NÃO TENHO DÚVIDAS DISSO.


Toda partícula que voa sempre encontra um olho.

FATO: de maneira prodigiosa eu consegui fazer com que uma particula da lixa de unha saltasse diretamente no meu olho direito me fazendo sentir dor e uma vontade dilacerante de cortar os pulsos com uma bolachinha maria.


Um comentário:

Carol Lindemeyer * disse...

Ahaha! Foda mesmo é cortar os pulsos com bolachinha maria. Eu mereço :D