sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Diário do humor/essência



Eu resolvi fazer um diário, lógico que ao estilo Adriane de ser; tentando desvendar os mistérios que existem sob os mais diversos tipos de humor/essências que somos obrigados a enfrentar no trabalho, casa e em nós mesmos.


É idiota eu sei, mas pode ser uma fonte interessante de informações que fundamentem, expliquem, elucidem o por quê de encontrarmos tantos rinocerontes [são os mais ferozes do reino animal sabiam?] no nosso dia-a-dia.


Eu começo com uma "homenagem" a uma pessoa "X" que trabalha comigo.


Eu acho impressionante a capacidade que eu tenho de atrair sempre o que obviamente NÃO PRESTA. E é claro que esse destinosinho sacana e irônico não ia me livrar de uma grande bucha.


O denominado "Colega mala" [no popular].


Aquele que quando te vê, gruda em você, não de uma maneira racional [se é que existe racionalidade em grudar em outra pessoa]; é algo mais como um carrapato enrraivecido que quer te sugar tudo, até o tutano.


Esse é o EUFÓRICO COMPULSIVO RECLAMADOR. A nível científico claro.


É aquele que você reza pra que um trem passe 3 vezes bem na cabeça, mas que gentilmente cumprimenta e some do mapa.


Esse indivíduo insensível, irracional, faz com que tudo pareça estar prestes a desabar quando ele desenrola as conversas mais mirabolantes para você, sem lhe dar chance de réplica porque geralmente é um monólogo.


Eu poderia demonstrar assim:


Mala: Oi! Tudo Bem? Como passou o final de semana? Aaaaaah o meu foi um horror, passei com dor de ouvido, fui no pronto socorro, fui mal atendido, voltei pra casa e quando vi acabou o final de semana. Mas enfim, que saco ter que trabalhar né...blá, blá, blá...


Você: Errrr..bem...até mais. [sumir sumir sumiiiiir]


Pois bem, eu tenho esse carma e é impressionante a capacidade que eu desenvolvi de desligar a parte do meu cérebro que tem compulsão em MATAR, ESQUARTEJAR, SANGUE!!
Este tipo de indivíduo geralmente se caracteriza por, ser solteiro e/ou divorciado; mão de vaca [quando você fala em dinheiro ele diz ou que não recebeu ou que vai trazer amanhã, ambos são mentira]; enrrolão; tem aquela voz irritante [não sei se é porque é a voz realmente irritante ou você que não aguenta mais], feio [não é uma variável], impressionantemente ágeis quando precisam de uma carona sua e ainda querem que deixe na porta de casa o que te desvia umas 40 quadras do seu caminho normal; ele não tem noção de quanto pode ser irritante e acredita que você não tem capacidade cognitiva de compreender o que ele fala uma vez, portanto ele repete umas 4 ou 5 vezes dependendo da cara que você faz e do tempo que leva para responder e tentar cortar o assunto; é uma vítima do universo, portando NUNCA, JAMAIS pergunte a ele sobre sua saúde ou como passou o final de semana; nada que te aconteça é forte o suficiente para ser pior do que a vida dele que é triste, cansativa, estressante e sempre falta dinheiro e finalmente, o mais importante, ele sempre é parecido com algum personagem que marcou usa infância, seja ele bom ou ruim.


No meu caso, TOPOGIGIO. A diferença é que tem cabelo chanel. E eu juro que é a única diferença.





4 comentários:

Ju . disse...

muito boa!! como sempre maninha!!!!
eu conheço alguns assim!
colega e hóspede tbm!
ehehehehehe

Gil Sampaio disse...

Muito legal adorei, fiquei com um pouco de pena. Mas depois desencanei, é muito triste ser patetico né? Talento para escrever é um charme e o bom humor também, se um dia tiver um tempo visita lá o meu blog, ele sente falta de você e da Mari, talvez ele esteja muito intro e um pouco cafajeste. rs rs rs por isso vcs não visitam mais. beijo

Profe Suely disse...

Oi! Adri!

Muito legal o perfil psicológico e comportamental que traçaste do teu Topogigio!!!
heheheehehehe
Estás uma especialista no assunto... tadinha...

Ah, o Topogigio é do meu tempo!!!

Beijos! Saudades!

-DiNhO- disse...

Sempre tive medo do Topogigio...
agora tenho mais medo ainda de ti^^
fico massa o blog...
vo segui.
bjobjo