terça-feira, 18 de agosto de 2009

Velhice casa!

Rá...estou feliz, muito feliz, hoje recebi uma notícia alegre e engraçada, uma boa chance de ser tão agradável de escrever quanto ler.
A velhice casa, afinal de contas?
Eu me perguntei quando uma amiga noticiou: "Saí para escolher as alianças, VOU CASAR, já comprei o fogão."
Quando iniciamos a faculdade o discurso dela era: "Eu NUNCA vou casar. " [se estás lendo tu sabes quem que é verdade minha cara amiga =)]
Impressionante como a juventude nos afasta de qualquer possibilidade mesmo que muito remota de compromisso; juntar o cocô do cachorro que insistimos em ganhar e prometemos cuidar se torna uma tarefa extremamente comprometedora a qual sempre damos um jeito de evitar; fazer todo dever de casa é chato demais então tentamos fazer na aula pra não levar trabalho pra casa [uuuh eu fiz muito isso!]; tomar conta do irmão mais novo é um castigo pior que ajoelhar no milho, fora que as chances de esquecê-lo em algum canto inimaginável e inóspito da casa torna-se muito provável.
Mas, com a velhice, as coisas se invertem consideravelmente; sair catando o cocô do cachorro é uma tarefa tão vil que se faz automaticamente ao levantar; trazer trabalho para casa é quase uma obrigação e ficar até madrugada fazendo isso também; cuidar de irmão, cacete adultos tem seus próprios filhos e ainda cuidam dos irmãos, pais e o que estiver por vir, e se não os tiverem criam mais cães!
Vejam a evidência chave de velhice CASAR + DESEJO INSANO DE TER FILHOS.
É o inegável sinal da natureza acendendo o alerta vermelho, você nasceu, cresceu e agora REPRODUZA-SE!
Aprendemos isso na 5ª série do Ensino Fundamental, é quase uma lavagem cerebral, somos seres indefesos, aprendendo a repetir isso, até que um dia, BUUUUM, se torna real.
Eu me sinto, hoje, ludibriada por essa historinha das aulas de ciências. Vocês não?! Parece tão fácil! Mas definitivamente não é.
Mas tudo bem, eu não vou ser a pessimista da história, afinal, não é a minha história e sim da minha amiga.
Ela vai casar! Caramba, e eu sou madrinha [é eu sei que isso soa estranho visto a minha falta de sensibilidade] e isso de fato me deixou MUITO FELIZ porque ao menos alguém está seguindo o ciclo supostamente natural das coisas, porém isso indica que também estou envelhecendo e não estou cumprindo com o ciclo. Eu duvido muito que a minha falta de consideração com essa regrinha da natureza influencie no equilíbrio da vida visto a quantia absurda de gente neste mundo, mas ou eu estou aqui pra simplesmente analisar tudo friamente, o que biologicamente não tem utilidade alguma; ou a minha hora vai chegar [isso me soa ameaçador!].
Eu, MADRINHA também me deixou feliz, uma responsabilidade de testemunhar dois seres unirem-se por livre e espontânea vontade para viverem, acordarem, comerem, assistir TV, enfrentar TPM, tudo JUNTO; é um ato de extrema coragem e eu não perderei isso por nada.
Agora, obviamente que, EU vou planejar a despedida de solteira dela.
Mas isso é assunto para outra postagem =)
Amiga querida, brincadeira a parte, sabes que estou extremamente feliz por vocês, não só por ter acompanhado tudo desde o início, mas porque torço por aqueles os quais acredito merecerem realmente a felicidade que exista em uma união repleta de amor [para sentimentais rsrsrs...]. Beijos.

3 comentários:

JoaoFPR disse...

Eu (espero) NUNCA vou casar.

Ju . disse...

Despedida de solteira? Opaaa to dentro!

AAdrianeéumamulherzinhaéespera(muito)secasar!!!!


ahahhahahaha

Profe Suely disse...

Oi, Adri!

Como eu casei e fui mãe na terceira idade...

Digo: muita calma nesse hora! Tem tempo pra tudo... hehehehehehe até pra não casar e não ter filho...

Beijos!