quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Lutando com Palitinhos

O sushi tradicionalmente é feito com arroz temperado com molho de vinagre, açúcar e sal, ao qual é combinado com algum tipo de peixe ou frutos do mar, ou ainda vegetais, frutas ou até mesmo ovo. A tradição japonesa é de servi-lo acompanhado de wasabi e shoyu (molho de soja).
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Sushi

Eu SEMPRE quis comer sushi e duvido que alguém não tenha ao menos curiosidade de provar. Veja bem, bolotinhas coloridas, de vários sabores, cores e cheiros e uma coisa em comum, PEIXE CRU, atrativo; não?
Eu adoro peixe, mas cru não é exatamente o que eu chamaria de uma necessidade física de comer, mas a curiosidade me acompanha em determinados assuntos e culinária é um destes. Entretanto no local onde resido, o conceito de sushi se comparado aos pratos típicos é quase uma afronta a tradição, visto que carne vermelha é obrigação no dia-a-dia, portanto, aos 22 anos peixe cru jamais entrou na minha vida. Até hoje, pelo menos.
Então, como um desafio ao meu sistema digestório frágil (todos temos pontos fracos!) ,eu decidi que era hora de saciar esse desejo descomunal de provar a iguaria japonesa. Pois bem, lá fomos nós (ninguém achou que eu me estaria a tal ponto sozinha né?), pedir uma porção com 32 peças totalmente desconhecidas, mas entender os utensílios para degustar tal prato é praticamente um teste de raciocínio lógico. Comece pela raiz forte, ela não tem este nome a toa, é forte, muito forte, de lágrimas insistirem em sair dos seus canais lacrimais sem a mínima cerimônia.
Passe pelo shoyu, bom, eu gosto, para quem não gosta, lamento.
Agora chegue ao palitinho, a os palitinhos, veja o sushi como um quebra-cabeças no qual a peça chave realmente são os palitinhos. Pequeninos pedaços de madeira capazes de transformar uma refeição em algo inacreditavelmente difícil. São dois, e dois totalmente incompatíveis com seus dedos, simplesmente não encaixa, teriam que ser usados como pinça, mas até você adquirir habilidade suficiente para isso o sushi já chegou, deve ser por isso que os palitos são levados antes. Eu descobri que minha coordenação motora acaba quando começa o uso dos palitinhos.
É incompatível com um atrativo de catástrofes como eu, conseguir segurar uma bolinha molenga de comida com dois palitos que nem de longe formam uma pinça na minha mão, mas como tudo se aprende na vida e a fome ensina, eu consegui de maneira até prodigiosa segurar o sushi com os palitos, um tanto quanto instáveis é bem verdade, mas consegui. Desprender-se de todas as teorias de tênias ou outros vermes que acometem peixes é outro desafio e confiar no cozinheiro e na qualidade e seriedade do ambiente são um teste para uma pessoa desconfiada como eu. Nada melhor do que pensar que vermífugos existem. Levar o sushi até a boca é de longe o mais fácil se compararmos com o fato de ter que engolir, que é de longe o mais difícil. Algumas peças vão “facim facim”, mas outras necessitam de uma mastigação mais vertiginosa e especulativa como: “Devo realmente engolir isso?”. Não é fácil sobreviver ou ao menos não ter um surto alérgico após a segunda peça, tampouco desligar-se da realidade de que é cru e não é tão bom quanto era na teoria, mas é uma experiência de vida, que se você não quiser ter não fará absoluta diferença, então sinta-se a vontade para não vivê-la.

Mas se alguém pensa em viver uma situação como essa eu diria que:
  • Nenhum estômago está suficientemente preparado para isso, não se iluda.
  • Ninguém adquire coordenação motora instantaneamente, pratique antes.
  • Em hipótese alguma coloque muita raiz forte no shoyu ou diretamente na boca, vai arder de maneira descomunal.
  • Não pense no que está comendo, engula e pronto.
  • Tenha sempre um refrigerante por perto.
  • Na dúvida espere alguém comer e se depois de 1 minuto não surtir efeito negativo, coma.

Um comentário:

Ju . disse...

bom, née... eu como AMO sushi, aconselho todo mundo a comer =p
o blog tá MAAARA maninha!